Apresentação

Dando-se continuidade ao projeto iniciado em 2015, é apresentado agora o Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE) relativo ao ano de 2016, obtido a partir do mais recente levantamento realizado nos Portais de Transparência das 184 Prefeituras pernambucanas.

Em relação aos patamares alcançados no ano anterior, o índice médio de transparência apresentou elevação de 362,11 para 422,80, demonstrando visível evolução, amadurecimento e otimização da qualidade da informação, disponibilizada pelos Municípios Pernambucanos, de modo geral, em seu Portais de Transparência, destacando-se a exitosa atuação do Tribunal de Contas de Pernambuco, através de ações pedagógicas e de auditagens, emissão de Alertas de Responsabilização e instauração de processos de sua competência.

Ressalte-se também a constatação do crescimento do número dos municípios que atingiram os níveis “Moderado” e “Desejado” de transparência pública, resultados estes, apresentados com os demais dados e métodos de diagnósticos adotados, nos gráficos e estatísticas adiante detalhados.

Por fim, cabe considerar que o desafio continua, pois muito ainda há de ser feito na busca da transparência da gestão pública. O Tribunal de Contas de Pernambuco não medirá esforços no sentido de fomentar e contribuir para formação de uma sociedade cada vez mais cidadã, justa e comprometida com a coisa pública.


Carlos Porto de Barros
Presidente do TCE-PE

Objetivo do Trabalho

Realizar o diagnóstico dos portais da transparência das prefeituras municipais do estado de Pernambuco, para o exercício 2016, mediante o estabelecimento de um Índice de Transparência, o ITMPE - Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco, com o intuito de estimular a melhoria da transparência pública e, consequentemente, facilitar o controle social.

Critérios de Avaliação

A avaliação dos portais da transparência das prefeituras de Pernambuco tomou por base as exigências contidas na Lei Complementar nº 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal), na Lei Complementar nº 131/2009, que determina a disponibilização em tempo real de informações sobre a execução orçamentária e financeira, no Decreto nº 7.185/2010, que regulamenta a LC nº 131/2009, e na Lei nº 12.527/2011 (LAI), que regulamenta o acesso à informação previsto no inciso XXXIII do art. 5º da Constituição Federal de 1988.

A partir do levantamento das exigências legais, foram definidos 51 critérios de avaliação, os quais foram detalhados em um ou mais subcritérios, totalizando 149 subcritérios de avaliação. Para cada subcritério foi atribuído um grau de atendimento (sim, não ou parcialmente). Considerando os 184 municípios pernambucanos, durante todo o trabalho foram realizadas um total de 27.416 verificações.

Os critérios de avaliação foram organizados em dois grupos: Conteúdo e Requisitos Tecnológicos, compostos pelos seguintes subgrupos:


objetivo

Níveis de Transparência

Para cada portal da transparência avaliado, foi calculado o ITMPE - Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco, que pode variar entre zero e 1.000 pontos. De acordo com o valor obtido, os portais foram classificados em cinco Níveis de Transparência, conforme a seguinte gradação:


objetivo

Cálculo do Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco(ITMPE)

A comparação entre os portais da transparência avaliados foi viabilizada a partir do Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE) alcançado por cada uma das prefeituras. Para o cálculo do Índice, foi definida uma pontuação a ser atribuída a cada critério de avaliação, conforme a sua importância relativa.

Saliente-se que cada critério foi avaliado de forma estática, isto é, a pontuação considerada foi aquela correspondente à informação disponibilizada pela prefeitura no momento da avaliação.

A tabela a seguir apresenta a pontuação consolidada dos grupos, subgrupos e critérios avaliados, a pontuação máxima possível e o percentual que a representa no cálculo do ITMPE:

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PONTUAÇÃO MÁXIMA % MÁXIMO
1. CONTEÚDO 600 60,00%
1.1 Transparência da Gestão Fiscal 420 42,00%
1.1.1 Verificações preliminares 20 2,00%
1.1.2 Informações de RECEITA 65 6,50%
1.1.3 Informações de DESPESA 250 25,00%
1.1.4 Outras Informações 85 8,50%
1.2 Lei de Acesso à Informação 180 18,00%
1.2.1 Informações disponibilizadas na internet 180 18,00%
2. REQUISITOS TECNOLÓGICOS 400 40,00%
2.1 Requisitos tecnológicos gerais para o sítio do Portal de Transparência 104 10,40%
2.1.1 Ferramenta de pesquisa de conteúdo 15 1,50%
2.1.2 Comunicação com o órgão/entidade detentor do site 22 2,20%
2.1.3 Acessibilidade para pessoas com deficiência 24 2,40%
2.1.4 Cadastramento e senha para acesso 10 1,00%
2.1.5 Endereço eletrônico do portal de transparência 5 0,50%
2.1.6 Usabilidade 28 2,80%
2.2 Requisitos tecnológicos para a sessão Receita 65,5 6,55%
2.2.1 Gravação de relatórios 9 0,90%
2.2.2 Autenticidade e integridade das informações 5 0,50%
2.2.3 Atualização das informações 9 0,90%
2.2.4 Delimitação temporal das consultas 9 0,90%
2.2.5 Série histórica dos dados 9 0,90%
2.2.6 Facilidade para acesso aos dados abertos por softwares automatizados 9 0,90%
2.2.7 Divulgação da estrutura dos arquivos de dados abertos 3 0,30%
2.2.8 Atualização dos dados abertos 5 0,50%
2.2.9 Série histórica dos dados abertos 7,5 0,75%
2.3 Requisitos tecnológicos para a sessão Despesa 82,5 8,25%
2.3.1 Gravação de relatórios 12 1,20%
2.3.2 Autenticidade e integridade das informações 6 0,60%
2.3.3 Atualização das informações 12 1,20%
2.3.4 Delimitação temporal das consultas 12 1,20%
2.3.5 Série histórica dos dados 12 1,20%
2.3.6 Facilidade para acesso aos dados abertos por softwares automatizados 12 1,20%
2.3.7 Divulgação da estrutura dos arquivos de dados abertos 4 0,40%
2.3.8 Atualização dos dados abertos 5 0,50%
2.3.9 Série histórica dos dados abertos 7,5 0,75%
2.4 Requisitos tecnológicos para a sessão Licitações 82,5 8,25%
2.4.1 Gravação de relatórios 12 1,20%
2.4.2 Autenticidade e integridade das informações 6 0,60%
2.4.3 Atualização das informações 12 1,20%
2.4.4 Delimitação temporal das consultas 12 1,20%
2.4.5 Série histórica dos dados 12 1,20%
2.4.6 Facilidade para acesso aos dados abertos por softwares automatizados 12 1,20%
2.4.7 Divulgação da estrutura dos arquivos de dados abertos 4 0,40%
2.4.8 Atualização dos dados abertos 5 0,50%
2.4.9 Série histórica dos dados abertos 7,5 0,75%
2.5 Requisitos tecnológicos para a sessão Contratos 65,5 6,55%
2.5.1 Gravação de relatórios 9 0,90%
2.5.2 Autenticidade e integridade das informações 5 0,50%
2.5.3 Atualização das informações 9 0,90%
2.5.4 Delimitação temporal das consultas 9 0,90%
2.5.5 Série histórica dos dados 9 0,90%
2.5.6 Facilidade para acesso aos dados abertos por softwares automatizados 9 0,90%
2.5.7 Divulgação da estrutura dos arquivos de dados abertos 3 0,30%
2.5.8 Atualização dos dados abertos 5 0,50%
2.5.9 Série histórica dos dados abertos 7,5 0,75%
Total 1000 100%

O levantamento do Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE)"", para o exercício 2016, foi desenvolvido durante os meses de julho a setembro do ano corrente.

Níveis de Transparências dos Portais das Prefeituras dos Municípios de Pernambuco - Exercício 2016

O mapa a seguir apresenta o novo mapeamento dos municípios conforme o Nível de Transparência alcançado pelo seu portal, em 2016.

objetivo
  • NÍVEL DE TRANSPARÊNCIA:
  •  
    Desejado
  •  
    Moderado
  •  
    Insuficiente
  •  
    Crítico
  •  
    Inexistente




Ao se comparar o resultado obtido em 2016 com o obtido em 2015, percebe-se que um maior quantitativo de municípios teve o seu Portal da Transparência enquadrado no Nível de Transparência Moderado (cor verde), conforme demonstram os gráficos a seguir:

objetivo
  • NÍVEL DE TRANSPARÊNCIA:
  •  
    Desejado
  •  
    Moderado
  •  
    Insuficiente
  •  
    Crítico
  •  
    Inexistente


Percentual de Municípios por Nível de Transparência (2015 - 2016)

Em 2016, cerca de 43% das prefeituras dos municípios pernambucanos encontram-se nos níveis Moderado e Desejado de transparência pública. Esse percentual era de 27,17%, em 2015.

O Portal da Transparência da Prefeitura do Recife continua sendo o único enquadrado no nível Desejado, embora ainda tenha espaço para melhorias. Por outro lado, houve um aumento razoável de prefeituras cujos Portais da Transparência foram melhor avaliados e passaram a integrar o rol dos enquadrados no nível Moderado de transparência pública. O percentual de municípios que atingiram o nível Moderado passou de 26,63%, em 2015, para 42,39%, em 2016.

Constatou-se também que houve redução no percentual de prefeituras cujos Portais da Transparência não viabilizam um controle social minimamente satisfatório. O percentual de municípios que se encontram nos níveis Inexistente, Crítico ou Insuficiente que era cerca de 73%, em 2015, passou a ser de 57%, em 2016.


objetivo
objetivo
objetivo

Índice Médio de Transparência das Prefeituras dos Municípios Pernambucanos

O gráfico a seguir apresenta o comparativo dos Índices médios de transparência nos exercícios 2015 e 2016, onde se pode verificar que em 2016 houve um avanço de 16,8%.

objetivo

Evolução das Notas do ITMPE (2015-2016)

O gráfico a seguir apresenta a evolução das notas atribuídas em 2016 aos Portais da Transparência das 184 prefeituras dos municípios pernambucanos frente aos resultados obtidos em 2015. Pode-se observar que, em 2016, um total de 116 municípios (63%) aumentaram a nota do ITMPE, enquanto que 68 municípios (37%) tiveram a sua nota diminuída.


objetivo

Evolução do Nível de Transparência das Prefeituras (2015-2016)

Do ponto vista do Nível de Transparência, em 2016, 30% das prefeituras dos municípios pernambucanos ampliaram o seu Nível de Transparência, de acordo com a metodologia adotada pelo TCE-PE, enquanto 61% deles permaneceram no mesmo nível alcançado em 2015. Um total de 17 municípios (9%), todavia, diminuiu o seu nível de transparência pública.

objetivo

População X Nível de Transparência

O gráfico a seguir apresenta a distribuição da população do estado por Nível de Transparência. Em 2016, a maior parte da população pernambucana foi beneficiada, já que para 64,62% dela já é possível o exercício de um controle social mais efetivo, enquanto apenas 35,38% da população encontra-se prejudicada quanto ao exercício do controle social, vez que reside em municípios que alcançaram apenas os níveis de transparência Inexistente, Crítico ou Insuficiente, nos portais de suas prefeituras.

objetivo

Comparando os resultados obtidos em 2015 e em 2016, é possível perceber que houve uma inversão, já que, em 2015, apenas a menor parte (39,88%) da população do estado residia em municípios enquadrados nos níveis de transparência Moderado e Desejado.


objetivo
objetivo

Ranking Comparativo do ITMPE das Prefeituras
(2016-2015)

Ranking Município Pontuação 2016 Nível de Transparência 2016 Pontuação 2015 Nível de Transparência 2015
1 RECIFE 800.5 Desejado 761.5 Desejado
2 JABOATÃO DOS GUARARAPES 697 Moderado 376.5 Insuficiente
3 CABO DE SANTO AGOSTINHO 687 Moderado 648 Moderado
4 JUCATI 670.5 Moderado 559.5 Moderado
5 ARCOVERDE 660.5 Moderado 517 Moderado
6 PETROLINA 652 Moderado 240.5 Crítico
7 CACHOEIRINHA 651.5 Moderado 641.5 Moderado
8 BONITO 647.5 Moderado 184 Crítico
9 FLORES 646 Moderado 87 Crítico
10 GRAVATÁ 636.5 Moderado 460 Insuficiente
11 IATI 628.5 Moderado 550 Moderado
12 BOM CONSELHO 628 Moderado 589 Moderado
13 GARANHUNS 626 Moderado 638.25 Moderado
14 IPOJUCA 623 Moderado 565.5 Moderado
15 CHÃ GRANDE 620 Moderado 599.5 Moderado
16 SÃO BENTO DO UNA 618.5 Moderado 554.5 Moderado
17 LAGOA DO OURO 617.5 Moderado 573 Moderado
18 CALÇADO 617 Moderado 559.5 Moderado
19 BELO JARDIM 616 Moderado 511 Moderado
20 VERTENTES 609.5 Moderado 591.5 Moderado
21 ALTINHO 608.5 Moderado 456 Insuficiente
22 CARUARU 606 Moderado 588.5 Moderado
23 BREJÃO 605 Moderado 80 Crítico
24 POMBOS 594.5 Moderado 0 Inexistente
25 SAIRÉ 594 Moderado 417.5 Insuficiente
25 TRIUNFO 594 Moderado 565 Moderado
27 AGRESTINA 592 Moderado 270 Insuficiente
28 MORENO 586.5 Moderado 538.5 Moderado
29 AFOGADOS DA INGAZEIRA 585.5 Moderado 529 Moderado
30 CAETÉS 583 Moderado 562.5 Moderado
31 CAMOCIM DE SÃO FÉLIX 582.5 Moderado 184 Crítico
32 GLÓRIA DO GOITÁ 581 Moderado 0 Inexistente
33 CAPOEIRAS 578.5 Moderado 59.25 Crítico
34 SÃO BENEDITO DO SUL 577.5 Moderado 513.5 Moderado
35 MACHADOS 575 Moderado 570 Moderado
36 IBIMIRIM 573.5 Moderado 559 Moderado
37 SERTÂNIA 571 Moderado 548.5 Moderado
38 TORITAMA 570.5 Moderado 464.5 Insuficiente
39 LAJEDO 570 Moderado 592 Moderado
39 OLINDA 570 Moderado 470.5 Insuficiente
41 GOIANA 567 Moderado 579 Moderado
42 CONDADO 564 Moderado 503.5 Moderado
42 IBIRAJUBA 564 Moderado 344 Insuficiente
44 IGARASSU 560 Moderado 432.5 Insuficiente
45 ALAGOINHA 559.5 Moderado 593 Moderado
46 ESCADA 557.5 Moderado 128 Crítico
47 CUPIRA 553.5 Moderado 493.5 Insuficiente
48 INAJÁ 550 Moderado 458.5 Insuficiente
49 ITAPETIM 547 Moderado 507.5 Moderado
50 JUREMA 546.5 Moderado 574.5 Moderado
50 SÃO JOSÉ DO EGITO 546.5 Moderado 504.5 Moderado
52 BREJINHO 544.5 Moderado 490 Insuficiente
52 BREJO DA MADRE DE DEUS 544.5 Moderado 134 Crítico
54 AMARAJI 543.5 Moderado 608.5 Moderado
55 CARNAÍBA 542 Moderado 552.5 Moderado
55 JATOBÁ 542 Moderado 519 Moderado
57 SÃO JOÃO 540 Moderado 580.25 Moderado
58 PESQUEIRA 539.5 Moderado 616.5 Moderado
59 SURUBIM 538 Moderado 587.5 Moderado
60 RIACHO DAS ALMAS 537 Moderado 473.5 Insuficiente
61 ARARIPINA 535.5 Moderado 523 Moderado
62 TUPARETAMA 535 Moderado 533.5 Moderado
63 SANTA MARIA DA BOA VISTA 534 Moderado 429 Insuficiente
64 ANGELIM 533.5 Moderado 527.5 Moderado
65 JATAÚBA 530 Moderado 0 Inexistente
66 MOREILÂNDIA 527.5 Moderado 597 Moderado
67 ÁGUAS BELAS 527 Moderado 424 Insuficiente
68 SÃO LOURENÇO DA MATA 526 Moderado 483.5 Insuficiente
69 CORRENTES 519 Moderado 59 Crítico
70 FERREIROS 516.5 Moderado 389 Insuficiente
71 PARNAMIRIM 516 Moderado 487 Insuficiente
72 CALUMBI 511 Moderado 324 Insuficiente
73 SANTA CRUZ DA BAIXA VERDE 510.5 Moderado 548.5 Moderado
74 CABROBÓ 509.5 Moderado 230 Crítico
75 SALOÁ 507 Moderado 495 Insuficiente
76 EXU 505.5 Moderado 64 Crítico
77 BUÍQUE 505 Moderado 153 Crítico
78 MARAIAL 504.5 Moderado 81 Crítico
79 CASINHAS 500.5 Moderado 454.5 Insuficiente
80 BEZERROS 495.5 Insuficiente 423.5 Insuficiente
81 TABIRA 495 Insuficiente 500 Insuficiente
82 XEXÉU 492 Insuficiente 116 Crítico
83 ITAPISSUMA 488.75 Insuficiente 429.75 Insuficiente
84 BOM JARDIM 488 Insuficiente 498.5 Insuficiente
85 CHÃ DE ALEGRIA 487 Insuficiente 447.75 Insuficiente
86 LAGOA DE ITAENGA 486.5 Insuficiente 95 Crítico
87 FLORESTA 486 Insuficiente 485 Insuficiente
88 TRINDADE 485 Insuficiente 467.5 Insuficiente
89 IGUARACY 482.5 Insuficiente 482 Insuficiente
90 SANHARÓ 482 Insuficiente 305.5 Insuficiente
91 PASSIRA 477 Insuficiente 332.25 Insuficiente
92 ITAQUITINGA 472.5 Insuficiente 61 Crítico
93 LIMOEIRO 468.5 Insuficiente 416.5 Insuficiente
94 JOAQUIM NABUCO 468 Insuficiente 436.5 Insuficiente
95 RIBEIRÃO 467.5 Insuficiente 125.5 Crítico
96 SANTA FILOMENA 467 Insuficiente 488 Insuficiente
97 ABREU E LIMA 463.5 Insuficiente 138 Crítico
97 GAMELEIRA 463.5 Insuficiente 0 Inexistente
99 BELÉM DE MARIA 463 Insuficiente 72 Crítico
100 INGAZEIRA 458.5 Insuficiente 479.5 Insuficiente
101 JAQUEIRA 451 Insuficiente 81 Crítico
102 MANARI 446.5 Insuficiente 465.5 Insuficiente
103 BETÂNIA 446 Insuficiente 391 Insuficiente
104 CARNAUBEIRA DA PENHA 443 Insuficiente 74 Crítico
105 OURICURI 436 Insuficiente 104 Crítico
106 SALGUEIRO 432.5 Insuficiente 166.5 Crítico
107 LAGOA GRANDE 432 Insuficiente 425.5 Insuficiente
108 OROBÓ 431.5 Insuficiente 520 Moderado
109 VICÊNCIA 427 Insuficiente 490.5 Insuficiente
110 JUPI 424 Insuficiente 489 Insuficiente
111 CEDRO 422.5 Insuficiente 306.5 Insuficiente
112 ALIANÇA 418.5 Insuficiente 394 Insuficiente
112 FEIRA NOVA 418.5 Insuficiente 431 Insuficiente
114 DORMENTES 416.5 Insuficiente 154 Crítico
115 PARANATAMA 413 Insuficiente 425.75 Insuficiente
116 PRIMAVERA 410.5 Insuficiente 478.5 Insuficiente
117 GRANITO 409.5 Insuficiente 424.5 Insuficiente
118 AFRÂNIO 402.5 Insuficiente 484 Insuficiente
119 POÇÃO 393.5 Insuficiente 98 Crítico
120 SOLIDÃO 393 Insuficiente 410.5 Insuficiente
121 SANTA MARIA DO CAMBUCÁ 386.5 Insuficiente 469 Insuficiente
122 JOÃO ALFREDO 386 Insuficiente 488.5 Insuficiente
123 NAZARÉ DA MATA 385.5 Insuficiente 354.5 Insuficiente
124 QUIXABA 385 Insuficiente 475.5 Insuficiente
124 SÃO VICENTE FÉRRER 385 Insuficiente 457 Insuficiente
126 VENTUROSA 384.5 Insuficiente 535 Moderado
127 SANTA TEREZINHA 377 Insuficiente 94 Crítico
128 BARRA DE GUABIRABA 374 Insuficiente 424 Insuficiente
129 SANTA CRUZ 373.5 Insuficiente 306 Insuficiente
130 VERTENTE DO LÉRIO 356 Insuficiente 413 Insuficiente
131 SERRA TALHADA 352 Insuficiente 354 Insuficiente
132 SÃO JOSÉ DA COROA GRANDE 340 Insuficiente 387.5 Insuficiente
133 BUENOS AIRES 337.5 Insuficiente 274 Insuficiente
134 LAGOA DO CARRO 326 Insuficiente 529 Moderado
135 TAQUARITINGA DO NORTE 324.5 Insuficiente 462 Insuficiente
136 CAMUTANGA 324 Insuficiente 159.5 Crítico
137 FREI MIGUELINHO 320 Insuficiente 465 Insuficiente
138 TACARATU 319 Insuficiente 323 Insuficiente
139 SIRINHAÉM 313.5 Insuficiente 378 Insuficiente
140 TACAIMBÓ 312 Insuficiente 392 Insuficiente
140 VITÓRIA DE SANTO ANTÃO 312 Insuficiente 348 Insuficiente
142 TAMANDARÉ 310.5 Insuficiente 93 Crítico
143 VERDEJANTE 303.5 Insuficiente 339.5 Insuficiente
144 SÃO JOAQUIM DO MONTE 303 Insuficiente 177 Crítico
145 MACAPARANA 294 Insuficiente 384 Insuficiente
146 SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE 283 Insuficiente 356 Insuficiente
147 TIMBAÚBA 272.5 Insuficiente 248 Crítico
148 PAUDALHO 251.75 Insuficiente 405.75 Insuficiente
149 LAGOA DOS GATOS 233 Crítico 104 Crítico
150 SERRITA 230 Crítico 154.5 Crítico
151 PAULISTA 223 Crítico 113.5 Crítico
152 TERRA NOVA 210.5 Crítico 184.5 Crítico
153 BODOCÓ 198.5 Crítico 501 Moderado
154 RIO FORMOSO 196 Crítico 232 Crítico
155 BARREIROS 189 Crítico 430.5 Insuficiente
155 IPUBI 189 Crítico 377 Insuficiente
157 SALGADINHO 187 Crítico 350.5 Insuficiente
158 PETROLÂNDIA 175.5 Crítico 85.75 Crítico
159 PALMEIRINA 167 Crítico 548 Moderado
160 SÃO JOSÉ DO BELMONTE 164.5 Crítico 89 Crítico
161 CORTÊS 156.5 Crítico 533 Moderado
162 ITACURUBA 145 Crítico 0 Inexistente
163 ÁGUA PRETA 141.5 Crítico 481 Insuficiente
164 PALMARES 139 Crítico 66.75 Crítico
165 CANHOTINHO 134 Crítico 125.75 Crítico
166 QUIPAPÁ 130 Crítico 439 Insuficiente
167 ITAÍBA 125.5 Crítico 561.5 Moderado
168 TEREZINHA 119 Crítico 110 Crítico
169 BELÉM DO SÃO FRANCISCO 114.5 Crítico 415 Insuficiente
170 CUSTÓDIA 104 Crítico 69 Crítico
171 OROCÓ 99 Crítico 62 Crítico
172 TUPANATINGA 97.25 Crítico 381.5 Insuficiente
173 ITAMBÉ 95 Crítico 52 Crítico
174 PANELAS 75.5 Crítico 97 Crítico
175 CARPINA 75 Crítico 27 Crítico
176 SÃO CAETANO 71 Crítico 143 Crítico
177 CATENDE 69 Crítico 244 Crítico
177 CUMARU 69 Crítico 76 Crítico
179 MIRANDIBA 67.5 Crítico 350 Insuficiente
180 ITAMARACÁ 46.5 Crítico 59.5 Crítico
181 ARAÇOIABA 0 Inexistente 44 Crítico
181 CAMARAGIBE 0 Inexistente 132 Crítico
181 PEDRA 0 Inexistente 506.5 Moderado
181 TRACUNHAÉM 0 Inexistente 119 Crítico

Evolução do ITMPE por Município

Para visualizar o gráfico com a evolução do ITMPE, 2015-2016, por município,clique aqui

Sumário Executivo

Para saber mais sobre o Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE),clique aqui