O senador e ministro da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Exterior, Armando Monteiro Neto, fez uma visita de cortesia nesta segunda-feira (18) ao novo presidente do TCE, conselheiro Carlos Porto. Ele se desculpou inicialmente por não ter podido comparecer à posse, que se realizou no último dia 07, dizendo que gostaria de abraçar o presidente e desejar-lhe êxito à frente da instituição. O ministro foi recebido no gabinete da presidência pelo próprio Carlos Porto e os conselheiros João Campos, Teresa Duere e Ranilson Ramos.

Durante cerca de uma hora, eles trocaram opiniões sobre o cenário político e econômico nacional. O ministro declarou-se convencido de que o país só sairá da crise se houver um entendimento entre governo e oposição para a aprovação de algumas medidas, como a reforma da previdência, por exemplo. Carlos Porto, por sua vez, também concorda com essa observação, mas a iniciativa de propor um entendimento à oposição, disse ele, deve partir da própria presidente Dilma Rousseff.

OTIMISMO - Para o senador, em que pese a crise econômica que aflige o país ser responsável pelo aumento do desemprego e da inflação, há algumas notícias positivas que servem para afastar o pessimismo. Em primeiro lugar, disse ele, as reservas do país são superiores a US$ 300 bilhões, o que dá segurança ao governo para enfrentar qualquer turbulência de natureza externa. Em segundo, acrescentou, a balança comercial foi superavitária em 2015 em cerca de 14 bilhões de dólares, revertendo a tendência de déficit registrada em 2014.

Por último, a imagem que o Brasil tem hoje no exterior do ponto de vista dos investidores é melhor do que a que prevalece internamente, significando que muitas empresas multinacionais continuam acreditando no país.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 18/01/2015