O Tribunal de Contas vai contar com um gerenciamento dos resíduos produzidos em suas instalações e para isso foi firmada uma parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) visando à implantação de um Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O convênio foi assinado nesta quarta-feira (23) pelo presidente do TCE, conselheiro Carlos Porto e a reitora da UFRPE, professora Drª. Maria José de Sena.

A assinatura do convênio foi acompanhada por integrantes do EcoTCE, pelo diretor do Núcleo de Relações Institucionais e Convênios da UFRPE, professor Dalton Araújo e pelo pesquisador do grupo de Gestão Ambiental em Pernambuco (Gampe), Daniel Pernambucano de Melo.

O convênio tem duração de 12 meses, podendo ser prorrogado mediante um termo aditivo. Durante a sua vigência, as estudantes Tainá Vieira Oliveira e Aline Pereira Silva, alunas do 5º período do curso de Engenharia Agrícola da UFRPE,  irão analisar a produção dos resíduos no Tribunal e elaborar um diagnóstico. O trabalho possibilitará  a determinação de indicadores relacionados à sustentabilidade.

Para a reitora da Universidade, o convênio é motivo de muita satisfação, em razão da atenção dispensada pelo TCE para uma questão delicada e que interessa a todos. “infelizmente, nós percebemos que a questão da destinação correta dos resíduos sólidos produzidos no nosso dia a dia, ainda não é encarada com a seriedade que deveria. É muito importante que instituições como o Tribunal de Contas adotem essa prática”, ressaltou a reitora.

De acordo com Vilma Mendonça, do Grupo EcoTCE, a ideia da parceria com a UFRPE surgiu durante reuniões do Comitê Ecos de Pernambuco – que reúne o TCE, TRF, TRT, TJ, TRE e UFRPE. O Tribunal de Contas de Pernambuco acreditou nessa possibilidade e articulou a parceria  com a Universidade, a fim de implantar um Plano de Gestão para os resíduos produzidos em sua sede. "Até então, fazíamos esse trabalho de análise dos resíduos de forma pontual e com certa dificuldade por não termos expertise no assunto. A Universidade Federal Rural vai trazer o embasamento teórico que nos faltava, possibilitando um diagnóstico muito mais preciso", disse ela.

Em 2012, o TCE criou o Grupo EcoTCE com dois focos de atuação. O primeiro, no controle externo da gestão pública, como previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos. O segundo, na gestão ambiental no âmbito da instituição. Desde então, o Tribunal tem promovido ações de sensibilização e conscientização para os seus servidores, bem como auditorias operacionais e acompanhamento da gestão de aterros sanitários.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 25/05/2017