Voto de pesar pela morte do servidor do TCE, Paulo José Ferreira Inojosa, foi aprovado pelo plenário na sessão da última quarta-feira (18) por proposição do conselheiro Ranilson Ramos. Inojosa, servidor público do Governo do Estado que estava à disposição do gabinete do conselheiro, faleceu no último domingo, dia 15, vítima de infarto, aos 63 anos de idade, deixando viúva e três filhos. O corpo foi velado e sepultado no Cemitério Parque das Flores, no Recife.

Ao apresentar a proposição, Ranilson Ramos destacou as qualidades pessoais de Inojosa, especialmente a sua simplicidade e o seu alto nível intelectual. Frisou que um de seus filhos, de apenas 15 anos, que estuda no Colégio Santa Maria (Recife), fala 3 idiomas e já participa de um grupo seletivo que futuramente ingressará no ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica).

Em nome do Ministério Público de Contas, o procurador-geral Cristiano Pimentel também se associou às homenagens prestadas a Inojosa dizendo que ele, além de ser uma pessoa “muito querida” no TCE, foi professor de Inglês de muitos dos seus servidores. 

O advogado Márcio Alves, em nome dos colegas advogados presentes à sessão, também reverenciou a memória de Paulo Inojosa, destacando sua humildade e simplicidade. “Este é, infelizmente, o destino de todos nós, só nos restando pedir a Deus que conforme sua mulher (Ivanise) e seus três filhos e que lhe reserve um bom lugar na eternidade”, declarou o advogado.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 19/10/2017