Servidores do TCE, que lotaram o auditório do órgão nesta sexta-feira (15) para assistir ao balanço da gestão no biênio 2016-2017, aplaudiram de pé o presidente Carlos Porto e o diretor geral Gustavo Pimentel pelos avanços obtidos nesse período. 

Ambos ficaram emocionados com a homenagem recebida porque ela representou o reconhecimento da Casa ao que foi feito por eles nos últimos dois anos pela melhoria das condições de trabalho e aperfeiçoamento do controle externo.


Na ocasião, foi exibido um vídeo de quatro minutos, produzido pela Diretoria de Comunicação, com as principais realizações do biênio e um resumo das reportagens mais importantes produzidas pela imprensa local e nacional sobre a atuação do TCE em fiscalizações de sua responsabilidade.

A reunião foi iniciada com apresentações de Teresa Moura (Diretora de Gestão e Governança), Bethânia Azevedo (Coordenadora de Controle Externo) e Gustavo Pimentel (Diretor Geral ) sobre o balanço da gestão, seguindo-se uma homenagem, com entrega de diplomas, aos servidores que participaram das 12 auditorias mais relevantes realizadas nos últimos dois anos. A “auditoria destaque”, escolhida pelos servidores em eleição direta, teve como objeto o acompanhamento dos serviços de transporte escolar e limpeza urbana na prefeitura de Agrestina. Ela foi conduzida pelo servidor Valdo Araújo Medeiros, com a colaboração do Ministério Público, da Controladoria Geral da União e da Polícia Federal.

Também foi homenageado na sessão o arquiteto e auditor de controle externo Emanoel Alves de Almeida, que assina o projeto de construção do Edificio Ruy Lins de Albuquerque, ora em fase de acabamento. Ele foi apresentado por Gustavo Pimentel como “símbolo de perseverança”, pois começou sua vida profissional como ajudante de pedreiro e terminou como servidor concursado do TCE.

DESPEDIDA – Ao despedir-se dos colegas, Pimentel fez um agradecimento especial aos conselheiros Teresa Duere e Carlos Porto, de quem foi diretor-geral. A primeira gestão (2014-2015), disse ele, foi a “do aprendizado”, e a segunda (2016-2017), a “dos desafios” face às dificuldades que enfrentou para manter o equilíbrio fiscal do órgão. Agradeceu também ao Sindicontas, à Associação dos Auditores e aos servidores em geral “pela compreensão” de todos por não ter feito a correção das perdas salariais na data-base da categoria e sim após a superação das dificuldades financeiras.

Finalmente, disse que procurou seguir à risca a orientação recebida do presidente Carlos Porto na primeira reunião de trabalho após a posse: “Um olhar mais interno com foco na valorização das pessoas” (aplausos gerais).

DETERMINAÇÃO – Último a falar na ocasião, Carlos Porto embargou a voz quando foi chamado a despedir-se dos servidores. Ele creditou ao diretor geral o êxito de sua gestão, definindo-o como “misto de ternura e determinação”, frisando também que Gustavo Pimentel será sempre lembrado por sua seriedade, firmeza de propósitos e diplomacia.

Disse também que teve a sorte de suceder uma “gestão exitosa” que foi a do conselheiro Valdecir Pascoal, acrescentando não ter dúvidas de que o próximo presidente, Marcos Loreto, será também um presidente bem sucedido porque o TCE de Pernambuco, “um dos mais conceituados do Brasil pela excelência do seu corpo técnico”, é regido por um planejamento estratégico a que todos os presidentes obedecem.

“Cada qual tem o seu estilo, mas o rumo da instituição é o mesmo”, concluiu o presidente Carlos Porto sob demoradas palmas dos servidores.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 15/12/2017