O presidente do Tribunal de Contas, Marcos Loreto, disse nesta quarta-feira (24) em entrevista à Rádio Folha estar convencido de que a grande maioria dos prefeitos pernambucanos encara como “pedagógica” a recomendação feita pelo TCE às prefeituras no sentido de cancelar eventos festivos enquanto não colocarem em dia suas obrigações com a folha de pessoal.

A recomendação foi feita conjuntamente pelo Gabinete da Presidência e o Ministério Público de Contas por sugestão da nova procuradora geral do MPCO, Germana Laureano. Ela não considera certo que prefeituras gastem altas somas com a contratação de artistas, para animar o carnaval em suas cidades, por exemplo, se porventura não estiverem em dia com o pagamento dos seus servidores.

Segundo o presidente do TCE, a prioridade da gestão deve ser a prestação dos serviços essenciais à população, o recolhimento das contribuições previdenciárias e o pagamento do salário dos servidores, ficando em segundo plano a realização de eventos festivos de qualquer natureza.

Ele disse também que eventual descumprimento desta recomendação pode ensejar penalidades para os gestores públicos, incluindo a rejeição de suas contas.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 24/01/2018