Em sua sessão do Pleno da última quarta-feira (16), o Tribunal de Contas de Pernambuco aprovou votos de pesar pela morte do dramaturgo Édson Cadengue e do ator e José Pimentel, ambos pernambucanos.

O autor da proposição foi a conselheira Teresa Duere, que recebeu a solidariedade do presidente Marcos Loreto e dos conselheiros Carlos Porto, Dirceu Rodolfo, João Carneiro Campos e Ranilson Ramos.

Cadengue faleceu no último dia 1º aos 64 anos de idade. Ele era natural da cidade de Lajedo, dirigiu dezenas de peças de teatro e foi professor da cadeira em diversas instituições de ensino.

Já o ator e diretor de teatro José Pimentel morreu na última terça-feira (14) aos 84 anos de idade. Ele se notabilizou em Pernambuco e no Brasil por ter interpretado o papel de Jesus no espetáculo da “Paixão de Cristo” em Fazenda Nova.

Também foi aprovado um voto de pesar pela morte de Maria Alice de Albuquerque Ferreira, de 91 anos de idade, genitora do servidor do TCE, Lúcio José de Albuquerque Ferreira, lotado no gabinete do conselheiro substituto Luiz Arcoverde Cavalcanti Filho, que foi quem propôs o voto.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 16/08/2018