Comunicamos aos jurisdicionados do Tribunal de Contas, bem como aos senhores advogados, que na próxima terça-feira (18) e quarta-feira (19) as sessões da Segunda Câmara e do Pleno, respectivamente, terão início excepcionalmente às 9h.

O Tribunal de Contas aprovou na sessão do pleno desta quarta-feira (29) um voto de pesar pela morte do ex-deputado Geraldo Coelho e outro pelo falecimento do radialista Edvaldo Morais. O conselheiro Carlos Porto apresentou o voto de Geraldo Coelho, juntamente com os colegas Teresa Duere e Ranilson Ramos, e a conselheira o voto do radialista. O ex-deputado tinha 92 anos de idade e morreu em Petrolina no último dia 25.

Porto, Ranilson e Teresa foram colegas de Geraldo Coelho na Assembleia Legislativa e exaltaram a luta que ele empreendeu como parlamentar em defesa de sua cidade, Petrolina, onde foi prefeito na década de setenta, assim como dos interesses do Sertão do São Francisco.

Já Teresa Duere declarou que a morte de Edvaldo Moraes, aos 69 anos de idade, deixa uma lacuna na radiofonia de Pernambuco, onde ele atuou durante cerca de 50 anos como comentarista de futebol e mais recentemente como “âncora” de um programa de notícias na Radio Folha. Segundo ela, o programa abria espaço para que as comunidades mais humildes de Pernambuco pudessem se manifestar, cobrando dos governos melhoria dos serviços públicos.

O conselheiro Dirceu Rodolfo declarou que não conheceu pessoalmente o radialista, mas também tinha apreço pelo seu programa em razão de suas características, “dar voz a quem não tinha voz”, como ressaltou Teresa Duere. Ela lembrou, por fim, que Edvaldo Morais produziu um programa do TCE que foi exibido semanalmente por um “pool” de emissoras de rádio do interior na gestão dela e do conselheiro Carlos Porto com a finalidade de aproximar o Tribunal de Contas da sociedade.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 29/08/2018