O TCE comunica que as sessões de julgamento terão início no dia 21 de janeiro. A partir deste ano, a 1ª Câmara será realizada às terças-feiras e a 2ª, às quintas-feiras, já o Pleno permanece nas quartas-feiras. Todas as sessões acontecerão às 10h no auditório do 1º andar do edf. Nilo Coelho.

O conselheiro Dirceu Rodolfo foi eleito nesta quarta-feira (27), por aclamação, presidente do Tribunal de Contas de Pernambuco para o biênio 2020-2021. Também foram eleitos o conselheiro Ranilson Ramos para a vice-presidência, a conselheira Teresa Duere para a Corregedoria, o conselheiro Valdecir Pascoal para a diretoria da Escola de Contas, o conselheiro Carlos Porto para a Ouvidoria, e os conselheiros Carlos Neves e Marcos Loreto para as presidências da Primeira e Segunda Câmara, respectivamente.

A gestão da nova Mesa Diretora tem início a partir do dia 02 de janeiro do próximo ano. A solenidade de posse dos futuros presidente e vice-presidente do TCE será no dia 07 de janeiro do próximo ano.

Coube ao conselheiro Valdecir Pascoal falar em nome dos demais conselheiros sobre a escolha de Dirceu Rodolfo para a próxima gestão do TCE, em substituição a Marcos Loreto. Ele destacou o fato de Dirceu ser o primeiro conselheiro oriundo do Ministério Público de Contas e o primeiro a assumir a presidência do TCE.

Pascoal falou dos primeiros momentos de convivência com Dirceu, ainda em 1993 quando os dois ingressaram, na mesma época, no Tribunal de Contas. “Ao longo dessa jornada eu pude conhecer Dirceu melhor e testemunhar que ali havia o erudito, o homem culto, inteligência singular, que lê diuturnamente, que lê clássicos, que domina a filosofia grega, conhece a obra dos maiores jurisconsultos, aquele que fala da literatura brasileira, internacional, mas fala ao mesmo tempo, com a mesma paixão e a mesma ênfase, sobre a simplicidade e as coisas do homem comum”, comentou.

Pascoal destacou também a generosidade do colega conselheiro. “Quem o conhece sabe que Dirceu é daqueles que fica mais feliz com a alegria alheia, mais feliz em ajudar o proximo”, disse.

E se emocionou ao falar do amigo de todas as horas. “É o amigo certo de todas as horas. Os 50 anos consolidam a sua maturidade. O tempo e a experiência mostraram a ele que um dos maiores desafios da arte de administrar e liderar é saber dizer “sins” e “nãos”. e ele leva uma grande vantagem: é um ser humano tão transparente e afável que o seu “não” sempe será compreendido e respeitado”, afirmou.

Como novo presidente da Escola de Contas, Pascoal se colocou à disposição para ajudar na próxima gestão. “Estaremos engajados e irmanados à missão maior que é aprimorar o nosso TCE. Parabéns Dirceu, saiba que temos orgulho de você e orgulho também tem esse tribunal por ter você em seus quadros”, concluiu.

Em seguida, representando o Ministério Público de Contas, a procuradora geral em exercício, Maria Nilda, que estava substituindo Germana Laureano, endossou as palavras de Valdecir Pascoal e parabenizou o colega. “Dirceu é uma pessoa humana, sensível, competente e preocupado com a coisa pública. Tenho certeza de que fará uma grande gestão”, ressaltou.

Em suas primeiras palavras Dirceu Rodolfo parabenizou seu antecessor, Marcos Loreto, agradeceu a confiança dos colegas e ressaltou a qualidade do corpo técnico do TCE. “Recebo um Tribunal muito bem resolvido, que será muito simples de ‘fazer fluir’, tendo em vista a capacidade técnica dos servidores”.

Dirceu também enfatizou a importância do MPCO em sua trajetória. “Tenho muito orgulho de ter pertencido ao Ministério Público de Contas e é uma marca que quero levar até o final da minha carreira”, disse.

Por fim, destacou que a gestão do seu “amigo-irmão” Valdecir Pascoal à frente do TCE será um “norte” para ele. “A gestão de Pascoal, que foi a primeira pessoa oriunda dos quadros técnicos a presidir o Tribunal. será um modelo e exemplo para o que pretendo fazer como presidente” comentou.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 27/11/2019