Um curso sobre Inteligência Emocional - Base do Autodesenvolvimento está com inscrições abertas até esta quarta-feira (27), na Escola de Contas Públicas. Ele será ministrado por Clara Boeckmann Vieira, de 01 a 04/2, das 13h30 às 18h, no prédio-sede, na Avenida Mário Melo, 90 – Boa Vista. As inscrições podem ser realizadas neste clicando aqui.

Para Clara Vieira é importante ter inteligência emocional. “Durante muito tempo a sociedade valorizou o QI (Coeficiente de Inteligência), que mede capacidades intelectuais do indivíduo, como indicador de competência. Contudo, ao longo do tempo, cientistas descobriram que outros tipos de inteligência compõem o sucesso pessoal e profissional das pessoas. Perceberam que as pessoas mais brilhantes intelectualmente não são necessariamente as que têm mais êxito profissional", disse ela.

A professora também citou que pesquisas indicam que 23% do o êxito se deve às nossas capacidades intelectuais e 77% às nossas atitudes emocionais (Fonte: The Consortium for Research on Emotional Intelligence in Organizations).

Atualmente, segundo ela, não faltam exemplos do quanto a Inteligência Emocional (IE) é determinante na vida das pessoas e nunca se falou e estudou tanto este assunto como nos dias atuais. “A Inteligência emocional envolve cinco atributos, que são o Autoconhecimento (ou autoconsciência), Autocontrole, Automotivação, Empatia e Relacionamento interpessoal. Fica autoexplicativo o valor destes atributos dentro e fora do contexto corporativo. Os reflexos da Inteligência Emocional no trabalho vão desde a satisfação com o que faz e maior comprometimento e resultados, até às relações mais saudáveis durante, digamos, 1/3 da vida do indivíduo, que passa grande parte do tempo no ambiente corporativo”, acrescentou.

Questionada sobre como e quando devemos praticar a inteligência emocional no ambiente corporativo, Clara Vieira respondeu: “Todo o tempo. Quando estudamos pessoas com inteligência emocional percebemos maior satisfação com o que faz, menor incidência de conflitos, melhor convivência, entre outros padrões positivos. E para praticar inteligência emocional no ambiente corporativo, não adianta fazer maquiagem. A inteligência emocional se desenvolve a partir de esforços pessoais para desenvolver seus atributos”.

Clara Emilie Boeckmann Vieira é Engenheira, graduanda em Psicologia, possui Mestrado, especialização, MBA. Formação em Professional & Personal Coaching; formação APG Amana-Key. Ela é também Fazendária, com doze anos de experiência como gestora pública, incluindo 4 anos na gestão na Supervisão de Desenvolvimento de Pessoas. Possui curso de formação de Instrutores, Coordenação Pedagógica, e Didática do Ensino Superior. Docência em faculdades privadas. 

Programação:

Inteligência Emocional – Base do Autodesenvolvimento
01/02 a 04/02 - 20h/a - 13h30 às 18h
Programação completa Inscreva-se aqui

Gerência de Jornalismo (GEJO)/ ECPBG, 26/01/2016