O Tribunal de Contas de Pernambuco, através da Inspetoria Metropolitana Sul, atuou conjuntamente com a DECASP (Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos) e o Ministério Público para a realização de auditorias de acompanhamento na Prefeitura de São Lourenço da Mata desde o início da atual gestão. O TCE atuou na fiscalização da prefeitura a partir de duas denúncias formalizadas na Ouvidoria.

Esse trabalho de fiscalização, realizado conjuntamente com órgãos parceiros, resultou na “Operação Tupinambá” que foi deflagrada nesta terça-feira (25) pela Polícia Civil. Além disso, o conselheiro e relator das contas de São Lourenço do presente exercício, Dirceu Rodolfo, determinou a instauração de um processo de auditoria especial para investigar e quantificar os possíveis danos causados ao erário.

Veja, abaixo, a íntegra da nota divulgada pela Secretaria de Defesa Social:

A Secretaria de Defesa Social, através da Polícia Civil de Pernambuco, no âmbito do Pacto pela Vida, desencadeou na manhã desta terça feira (26/09/17) a 35ª Operação de Repressão Qualificada de 2017, denominada “Tupinambá” com o objetivo de investigar o envolvimento de empresários e funcionários públicos municipais em crimes de desvio de bens e rendas públicas, na Prefeitura de São Lourenço da Mata, Região Metropolitana do Recife. 

II- Estão sendo afastados da função pública o atual prefeito do município, Bruno Pereira, além de servidores municipais suspeitos. Todos estão, a partir da presente data, proibidos de ter acesso a Prefeitura de São Lourenço, como medida cautelar expedida pela Justiça. Também serão cumpridos 14 (quatorze) mandados de busca e apreensão domiciliar.

III- As medidas judiciais foram expedidas pelo desembargador Odilon de Oliveira Neto, do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

IV- As investigações foram efetuadas pela Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (DECASP), da Diretoria Integrada Especializada - DIRESP, sob a presidência da delegada Patrícia Domingos, assessorados pelo Núcleo de Inteligência da DECASP e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (DINTEL).

V- O Ministério Público e o Tribunal de Contas de Pernambuco atuaram conjuntamente com a Polícia Civil, dando suporte às investigações. 

VI- Na execução da Operação, participam 110 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, além de auditores do TCE.

VII - A Operação acontece nas cidades de Recife, São Lourenço, Camaragibe, Caruaru e Bezerros. Ela é supervisionada pela Chefia de Polícia Civil e coordenada pela Diretoria Integrada Especializada - DIRESP.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 26/09/2017