O Tribunal de Contas encerrou no município de Salgueiro a programação de encontros regionalizados, denominados "Gestão da Preservação do Patrimônio Cultural: um olhar do Controle Externo", promovidos pela Gerência de Auditorias Temáticas, Estudos e Desenvolvimento.  

O trabalho, feito em parceira com a Escola de Contas, percorreu ao longo do ano nas cidades de Paudalho, Brejo da Madre de Deus, Goiana, Rio Formoso, Igarassu, Pesqueira, Triunfo e Salgueiro com o intuito de discutir a gestão do patrimônio cultural e obras de restauro, bem como abordar os procedimentos e cuidados que devem ser adotados para a preservação das riquezas culturais nos municípios.

As oficinas foram ministradas pelos analistas de controle externo Eduardo França e Odilo Brandão, tendo como público-alvo gestores e técnicos de secretarias e órgãos de políticas municipais responsáveis pela gestão e preservação cultural, além de controladores, vereadores e chefes do Poder Executivo. 

Cerca de 400 representantes de 73 municípios do Estado participaram dos encontros, demonstrando grande envolvimento e comprometimento durante as atividades das oficinas. "Apesar de um cenário de desvalorização da cultura e de poucos recursos disponibilizados à salvaguarda e ao fomento do patrimônio cultural, ainda é possível tentar se buscar a preservação e uma melhor gestão dos acervos culturais existentes nos diversos municípios e que compõem o Patrimônio Cultural Pernambucano", comentou Odilo Brandão. "O papel do Tribunal de Contas é analisar essa questão por meio de auditorias culturais e orientar os gestores, visando uma maior eficiência nesse aspecto por parte das administrações", disse ele.

Visando atender aos municípios que não tiveram a oportunidade de participar dos encontros, serão realizadas oficinas no Recife, na Escola de Contas, no decorrer do primeiro semestre de 2018, cujo calendário será oportunamente divulgado.

Veja aqui fotos das Oficinas regionalizadas.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 14/12/2017