Notícias

Com base em representação do MPCO, realizada pela procuradora geral Germana Laureano, e amparada em decisão do TCE, o Ministério Público de Pernambuco ajuizou ação de improbidade contra o ex-Prefeito de Itaquitinga, Pablo José de Oliveira Moraes, pela extrapolação do limite de gastos com pessoal durante seu mandato, em especial no ano 2015, quando chegou a 83,95% no 3° quadrimestre, ultrapassando o limite de 54% estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Confira a íntegra da petição. 

Tem início na manhã desta segunda-feira (20)  a primeira edição do Programa de Fortalecimento das Polícias Judiciárias. Com o tema “Corrupção Sistêmica e Delinquência Institucionalizada”, o encontro é voltado para delegados e investigadores da Polícia Civil de Pernambuco, escolhidos pela instituição, entre outros setores de combate à corrupção.

O evento, promovido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, seguirá até o próximo dia 24 de maio, e terá como um dos palestrantes o Ministro da Justiça Sergio Moro que abordará o tema “Combate ao Crime Organizado e Corrupção Sistêmica”.

A procuradora geral do MPCO, Germana Laureano, participará do evento. "A expectativa é positiva quanto ao aproveitamento do evento para o aperfeiçoamento das práticas adotadas pelo Ministério Público de Contas na investigação de práticas de corrupção", comentou Germana.  

Confira a programação completa.

Em atendimento à Representação Interna (06/2019) do Ministério Público de Contas, por meio do procurador Gilmar Severino Lima, foi referendada, com publicação nesta quinta-feira (16) no Diário Oficial, uma Medida Cautelar para que o prefeito de Paulista, Gilberto Gonçalves Feitosa Júnior, se abstenha de prosseguir conferindo execução ao Contrato nº 147/2012, decorrente do procedimento de Inexigibilidade nº 30/2012, celebrado entre Holanda & Cascardo Advogados & Consultores Associados e o Município.

O contrato visava a execução de serviços para recuperação de receitas de royalties de petróleo e gás natural, com gasto médio anual de R$ 2.035.800,00. De acordo com o requerimento, a solicitação da Cautelar se deu pela ausência de requisitos para a contratação direta da sociedade de advogados por inexigibilidade de licitação. Ainda no documento, foi reiterado que se faz urgente a instauração da auditoria especial.

Confira a íntegra da Representação.

Ministério Público de Contas solicitou ao TCE-PE a suspensão de licitação da prefeitura de Palmerina para contratação de serviços de análise, conferência e revisão de procedimentos para fins de recuperação de crédito e compensação previdenciária entre RPPS e RGPS. Confira o pedido.

A representação partiu de uma solicitação da procuradora geral Germana Laureno e segue agora para análise e posterior decisão do conselheiro relator. A contratação contraria a Recomendação Conjunta TCE-PE/MPCO nº 03/2018 de junho do ano passado.

Atualização (17/05)

Acatando o pedido do MPCO, foi publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (17), a decisão do conselheiro relator, Ranilson Ramos, de suspender a licitação da prefeitura de Palmerina. Confira a íntegra.